sexta-feira, 27 de junho de 2014

Especial | A Minha Vida é um Filme - Fani e Leo

Olá meus amores!
Para quem caiu aqui de paraquedas, ou simplesmente não leu os últimos posts, eu decidi voltar com o projeto Especial: A minha Vida é um Filme, que eu iniciei aqui, mas que acabei por abandonar. Explico melhor aqui, o porquê de ter tomado a decisão de voltar com esta ideia. Para falar a verdade, este post aqui já estava publicado, mas numa rúbrica que eu tinha supostamente criado, chamada Personagem ao Raio X, mas por enquanto decidi desistir com isso, afinal nunca mais voltei a publicar nada. Por isso comecemos do zero ok? E hoje vamos conhecer um pouquinho mais sobre a Fani e o Leo, os dois protagonistas desta série maravilhosa. 


A Estefânia Castelino Belluz, mas conhecida como Fani, inicia esta série com 16 anos e termina com 26. Fisicamente, os seus traços mais marcantes são o facto de ser branquinha, com cabelos castanhos lisos e muito bonita. Ela é muito emotiva e adora dramas, mas ao longo da série vemos ela a acalmar um bocadinho. Inicialmente era também muito tímida, mas no último livro vemos como ela consegue ultrapassar isso e tornar-se uma pessoa mais confiante e segura de si mesma. Era daquelas pessoas que se apaixonava com bastante facilidade, mas a partir do momento em que encontra o seu verdadeiro amor, o Leo, nunca mais volta a olhar dessa mesma maneira para outra pessoa. Ela adora filmes, sonha ser cineasta, e tem uma imensa coleção em casa, que não empresta a ninguém, mas que no entanto não se importa de mostrar, desde que seja lá em casa. Uma das razões que me faz gostar tanto dela é que me identifico com muito do que ela pensa, e para ilustrar melhor isso, escolhi duas coisas que ela diz no primeiro livro.

«Há gente que entra no meu quarto e acha que eu tenho uma loja de aluguer, pedem-me logo um filme emprestado. Digo não sem sequer pestanejar. Não é egoísmo, mas tenho uma história com cada um desses DVD, e ver aquele buraco na estante faz-me ter vontade de ligar de minuto a minuto a perguntar se o filme está bem. Então, prefiro dizer logo que não...» pág.21

Mudem as palavras filme e DVD, para livro, e esta sou eu a falar. As únicas pessoas a quem empresto os meus livros é à minha meia irmã e ao meu pai. Ao meu pai, porque, bem... é ele que me financia e oferece livros, então a menos que eu queira deixar de ler... hahaha estou a brincar! Empresto ao meu pai, porque foi ele que me iniciou na leitura, e visto que ele nunca se importa de ler os livros que eu compro, em vez de gastar dinheiro em livros para ele,  o mínimo que posso fazer é deixar ele ler e além disso adoro partilhar isso com ele. Quanto à minha meia irmã, comecei a emprestar, pelo facto de que foi uma alegria quando descobri alguém próximo, e que gostasse de livros. No entanto, confesso que alguns livros já vieram bastante estragados, e já pensei em desistir um milhão de vezes, mas o prazer de ter alguém bem perto, para falar sobre os livros que eu gosto, acaba por vencer. De resto, não dou, não empresto, nem deixo olhar...

«Ela disse o que a minha mãe me diz sempre, que estudar na véspera não adianta nada,mas eu não concordo, acho que, quanto mais fresco o estudo está, mais fácil é de lembrar na altura da prova.» pág.114

Achei imensa piada a este trecho, pelo facto de que nunca tinha ouvido, ou lido, ninguém com esta mesma opinião. Toda a gente, sejam pais, professores, especialistas, dizem que estudar na véspera não funciona, que assim é fazer tudo em cima do joelho, que mostra desinteresse e não sei mais o quê, mas para mim é o que funciona melhor. Aliás, comprovei isso mesmo. Tive exame, e por isso, como era muita matéria comecei a estudar com antecedência, pois no dia do exame (que foi dia 18, e correu muito bem, obrigada) eu já não me lembrava de metade do que tinha estudado nos primeiros dias, e tive que estudar uma hora antes de entrar na sala. Eu sou muito esquecida! Mas atenção! Isto não funciona para toda a gente, por isso, nada de irem dizer por aí que a Jessie do Fofocas Literárias escreveu que o que era melhor era estudar só no dia antes. Por amor de deus tá? Procurem o que é melhor para vocês!

A Fani é daquelas personagens em que se tona realmente o crescimento ao longo da série. Vemos até algumas das suas características mais marcantes a serem marcadas, como por exemplo, o facto de ela inicialmente ser tímida, como já referi. Eu acho-a um a pessoa muito forte, afinal quantos de nós, com a idade dela seríamos capaz de abandonar tudo e todos e partir para outro país para seguir um sonho, que até podia não dar em nada. Apesar de ser sonhadora, ela é também uma lutadora, porque não fica simplesmente à espera que eles se realizem por si só. Penso que ela pode tornar-se uma inspiração para muitas meninas!

E agora vamos falar do nosso querido Leo, que é super hiper mega fofo, muito ciumento, ama música e é loucamente apaixonado pela Fani desde o início, embora ela tenha demorado a entender isso. É um pouco impulsivo nas suas decisões, mas é aquele rapaz de sonho que todas querem para namorado, as mães querem para sogra e os meninos querem para melhor amigo. Após a separação dele da Fani a sua vida deu uma completa volta e ele deu por si a seguir um rumo que nunca pensou, estudando cinema me vez de música. Ele consegue criar um site muito famoso "Cinemateka" que mais tarde passa também a revista.

Uma das coisas que eu sempre adorei no Leo, é o facto de ele conseguir expressar-se com música. Graças a ele conheci muitas músicas que nunca tinha ouvido na minha vida e que acabarão por também fazer parte da banda sonora da minha vida daqui para a frente. Ele é um fofo, mas muita gente perdeu um pouco da consideração que tinha por ele quando ele começou a ser extremamente ciumento em relação à Fani, já eu, não tive problemas com isso, pois infelizmente eu percebo. Sou uma pessoa extremamente ciumenta, e já estraguei relações, tanto amorosas como de amizade, por causa disso, e digo-vos que só quem realmente sente pode falar. Eu não gosto de ter ciúmes, e vocês podem dizer "ah, eu também sinto, respiro e avanço, e não faço os filmes que fazes". Que bom, fico feliz, amén! Mas quem garante que todos sentimos ciúmes da mesma maneira, que o meu coração dói na mesma porção?? Então não julguem ok? E por isso eu também não julguei o Leo, mas sei que ele errou, tal como eu erro quando tenho ciúmes.

Apesar de tudo, o Leo consegue também o seu final feliz, aprendeu a controlar os seus ciumes e impulsos e, ao contrário da Fani, eu não vi uma evolução assim tão marcante, embora é claro ele também tenha crescido. Fazem um casal muito lindo, que prova que apesar de todas as adversidades, o amor vence sempre, se acreditar-mos e lutarmos por isso.

Beijinhos

4 comentários:

  1. Oi, Jessie! Eu tava vendo meu blog e achei seus comentários. Quão legal é você ser de Portugal? Já segui! E o segredo é entender a matéria e revisar depois! Hahahaha! Estudar só muito antes e só muito depois não funciona! Que legal você ler um livro da Paula Pimenta!

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Amei o post, aqui no Brasil esse livro e essa escritora fazem muito sucesso. Mas eu ainda não tive a oportunidade de ler os livros dela, mas é algo que eu pretendo fazer em breve, fico feliz que a literatura brasileira também faça sucesso em Portugal, pois a Paula Pimenta merece esse reconhecimento.*-*
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem de ler algo da PP. Eu se estivesse no Brasil compraria todos os livros dela.
      BiguiBeijo

      Eliminar