sábado, 26 de dezembro de 2015

Rainha Vermelha - Victorya Aveyard



Título| Rainha Vermelha
Autor| Victorya Aveyard
Editora| Saída de Emergência
Páginas| 352

Está complicado isto das resenhas! Eu sempre tive muita preguiça de escrever (complicado para quem criou um blog sobre livros), mas ultimamente está pior, e a falta de vontade tem vencido... Mas eu precisava seriamente de vir falar-vos sobre este livro, que mal vi o lançamento no Brasil eu quis ler, e pela primeira vez na vida, não demorou assim muito para chegar a Portugal.

Rainha Vermelha é um distopia, onde a sociedade é dividida em duas classes sociais: os Prateados, da realeza, que comandam, com poderes, e que têm realmente o sangue desta cor; e os Vermelhos, o povo, que vive para servir e não tem qualquer tipo de poder. No entanto, Mare Barrow é uma vermelha, que para ajudar a família arranja emprego no palácio e descobre que tem poderes após ter-se metido numa grande confusão. Como é isso possível? Ninguém sabe! Mas como os poderes da Mare foram manifestados em público, e o rei quer esconder, acolhem-na dizendo que ela é uma princesa perdida. 

Mare é um pouco amargurada, porque sempre viveu sob a sombra da irmã mais nova, mas eu achei que ela era muito real por causa disso. Ela tinha defeitos e fraquezas, mas também é uma personagem muito forte, que luta por aquilo que acredita, mesmo sendo perigoso. Ela odeia a realeza com todas as suas forças, mas após a sua vivência no palácio, nasce uma amizade e uma curiosidade acerca dos dois príncipes. 

Meus Deus, os príncipes! Numa resenha, li que era melhor não nos apaixonar-mos por nenhum dos príncipes, porque um deles, iria partir-nos o coração. Apesar de avisada, a autora conseguiu surpreender-me, algo que como já mencionei aqui, não é assim tão fácil de fazer, pois como leitora já vi quase todos os enredos possíveis e descubro tudo com antecedência. E é isto que faz eu amar um livro!

O enredo é cheio de ação e descobertas, os personagens são muito bem construídos o que faz com que nós os amemos muitos ou os odiemos com todas as nossas forças. Adorei a ideia dos poderes, os nomes criados para cada pessoa de acordo com aquilo que ela consegue fazer, e para mim essas descrições são das melhores partes. Cada vez que aparecia um novo poder eu ficava toda entusiasmada hehehe

Victorya Aveyard tirou-me o folgo nos últimos capítulos, partiu-me o coração, deixou-me ansiosa e angustiada, e eu adorei a sua escrita por isso. Apesar de só ter lido esta obra, ela virou uma escritora favorita e eu preciso da continuação agora mesmo. Muitos criticam, que esta história é uma coletânea de outras distopias como The Hunger Games e A Seleção, e não vou dizer que não vejo algumas parecenças aqui e ali. Mas ela pegou em bons detalhes desses livros, juntou-os e tornou-os em algo fantástico, então porquê o mimimi? Não entendo! Apenas aconselho que leiam. E não se esqueçam: cuidado com os príncipes ;)

Beijinhos

5 comentários:

  1. tenho lido muitas resenhas deste livro e confesso que inicialmente tinha uma outra visão dele que de cara me fez repudiá-lo... só que agora eu quero muito lê-lo, não só pelos seus elogios, mas também porque percebi que a trama tem um poder de evolução e conquista muito forte!
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também estava reticente devido às críticas, mas amei <3 Vale muito a pena.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Eu adorei este livro e mais posso esperar pelo proximo.
    SPOILER ALERT
    O maven partiu o meu coração.

    wonder--journal.blogspot.pt

    ResponderEliminar