sábado, 15 de junho de 2019

[Vejo e Recomendo] - Hilda


Qual é a série?
Hilda.



Atualmente está em que temporada?
Conta com uma temporada de 13 episódios, mas já foi confirmada uma segunda temporada, prevista para 2020.

Média de duração dos episódios?
Todos os episódios têm 24 minutos.

Fala de quê?
Hilda é uma animação britânica-canadense, baseada numa série de romance gráfico de mesmo nome, criada por Luke Pearson. A série conta a história da aventureira Hilda, uma menina de cabelos azuis que com o seu raposa-veado, chamado Twig, viajam da sua casa, num vasto deserto mágico cheio de elfos e gigantes, para a agitada cidade de Trolberg, onde ela encontra novos amigos e criaturas misteriosas.

Porque começaste a ver a série?
Comecei a ver imensa gente a falar sobre os livros, lançados pela Porto Editora e soube que eram inspirados numa série da Netflix. Amo animação, por isso, decidi ir ver um episódio e fiquei logo apaixonada.
 
Recomendas para quem gosta de...?
animação e, sem dúvida, para todas as crianças.
 
Personagem preferido e por quê...
Adoro a Hilda, sempre aventureira, que nos transmite imensa lições e nos relembra que os prazeres da vida estão nas pequenas coisas. Quem dá voz à personagem é a Bella Ramsay, que fazia de Lyanna Mormount em Game of Thrones

O que mais gostas na série?
Gosto do facto de ser uma animação com pés e cabeça. Os personagens são curiosos, têm os seus problemas mas há sempre uma lição a aprender, já para não falar que o traço e as cores são lindas.

Onde ver?
Netflix.

Trailer:


Vejo e recomendo é uma tag do blog onde falo sobre uma série e dou razões para assistirem. Foi inspirada numa tag do Hey, é a Laysa.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

[Parceria] - Miguel Ribeiro

Mais uma parceria com um autor português! Vocês não têm noção da felicidade e do orgulho que eu sinto cada vez que fecho uma parceria. Tão bom ver que o nosso trabalho é reconhecido e ainda melhor podermos fazer aquilo que gostamos.

Sobre o autor:

Escreve desde sempre, induzido pelo amor compulsivo que nutre pelas palavras, exercendo esse sentimento com a sensibilidade que elas requerem, tentando conjugá-las de forma criativa para dar voz aos seus pensamentos através de poesia, contos, crónicas, dando letras a músicas, algumas delas compostas por si. Nascido em 1988, é natural de Vizela, residindo atualmente no Porto e sendo colaborador no Instituto Português de Oncologia dessa mesma cidade. Estudou Ciências da Educação na FPCEUP até abraçar a 7 Graus, para a qual trabalha, desde então, como Gestor e Produtor de Conteúdos. Em maio de 2016 deu início à página de Facebook O menino junto ao rio, onde procura coadunar a sua escrita com o interesse que tem por tudo o que diga respeito a desenvolvimento pessoal e a comportamento humano. O céu é para quem não desiste de voar vem no seguimento desse projeto que conquistou milhares de seguidores, e marca a sua estreia literária enquanto autor.



Sobre o livro:

«Vê além do que os teus olhos te mostram, escuta para lá do que consegues ouvir.» 

Neste livro, Miguel Ribeiro conta-nos a história de um menino e do seu papagaio de papel, e através da simplicidade desta narrativa, baseada em elementos da natureza, faz-nos refletir acerca de valores e sentimentos, que tantas vezes esquecemos no nosso dia a dia. 

Num texto inspirador e poderoso que vai tocar no coração dos seus leitores, o autor fala-nos do amor no seu estado mais puro, do altruísmo, da resiliência, da capacidade de sonhar, da perda, da vontade e da esperança. As palavras que realmente importam nas nossas vidas. 

As palavras que têm o poder de nos transformar, de nos dar asas e de nos fazer tocar o céu.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Tag - Com Certeza Deveria

Olá meus anjos!
Hoje venho com mais uma tag. Vocês gostam de ver tags por aqui? Houve uma altura que eu não podia ver uma tag que já queria responder, hoje em dia sou mais comedida e, na verdade, tenho vindo a ter preguiça de responder algumas #vergonha Mas vamos lá para este que já é antiguinha e já devem ter visto muito por aí.


1. Com certeza deveria ter uma continuação.
Nómada de Stephenie Meyer. Eu quero e não quero continuação, porque quando um livro é bom nós não queremos que nada o estrague e eu tenho medo que uma continuação faça isso mesmo. No entanto, foi um livro que eu gostei mesmo muito e aquele finalzinho aberto dá-me nos nervos.


2. Com certeza deveria ter um spin-off. 
Harry Potter já tem o spinn-off de Animais fantásticos, mas não seria de mais se a J.K. Rowling escrevesse uma série de quatro livros, em que cada um focasse num dos criadores de Hogwarts?! Eu ia adorar! Também leria um spin-off com os pais do Harry Potter, em que falassem sobre a primeira Ordem da Fénix e essas coisas.


3. Com certeza deveria escrever mais livros. 
Stephenie Meyer! Muita gente não gosta de Crepúsculo, mas eu amo (já expliquei várias vezes o porquê) e já li os outros livros da autora - Nómada e A Química - e adorei ambos. Tenho imensa pena que ela não escreva mais, porque eu vou ler tudo que esta mulher escrever. Além disso ainda estamos à espera de MIdnight Kiss...


4. Com certeza deveria ter terminado com alguém diferente.
Eu amo a série House of Ninght e vamos combinar que a nossa Zoey é uma piriguete... chega uma altura que até é difícil decidir com quem queremos que ela fique. Mas o meu coração sempre foi do Heath e além de ficar triste por eles não ficarem juntos, não achei o final da personagem digno. 


5. Com certeza deveria ter terminado diferente. 
Convergente né? Ao contrário da maioria das pessoas eu não odiei o que aconteceu... Acho que foi diferente e que fez sentido. Foi credível sabem? Mas eu gostava tanto da série e das personagens que é claro que fiquei devastada e se pudesse escreveria um fim diferente.


6. Com certeza deveria virar filme. 
Corte de Espinhos e Rosas por mim pode virar filme, série... o que vocês quiserem amores... mas eu quero ver na minha televisão para ontem. O meu problema é que eu acho que nenhuma pessoa no mundo inteiro será suficientemente boa para representar o Rhysand (talvez o Ian Somerhalder apenas)...


7. Com certeza deveria virar série de TV. 
Trono de Vidro, com certeza, absoluta! Ainda só li os dois primeiros livros (visto que a editora portuguesa abandonou a série), mas tenho os ebooks e gostava muito de conseguir ler tudo ainda este ano. Tenho a certeza que vou amar e acho que ficava muito foda em série, desde que não cagassem com tudo.


8. Com certeza deveria ter somente um ponto de vista.
Não consigo pensar em nenhum! Acho que o facto de ter dois pontos de vista acrescenta sempre mais à história, e nunca aconteceu isso num livro de que eu não gostasse e achasse chato ter duas personagens a relatar o mesmo. 


9. Com certeza deveria ter uma capa diferente.
Uih meus amores... tantos! Mas vamos focar-nos nos clássicos, principalmente nos livros do George Orwell... Uma pessoa até quer ler, mas olha para aquelas capas e perde logo a vontade, não acham?


10. Com certeza deveria ter parado no primeiro livro.
Não me consigo lembrar de nenhum livro que se tivesse parado no primeiro teria ficado bom, mas sei de vários que por mim nem um existia. Mas sei que isto é muito feio de se dizer, que não é porque eu não gostei que outras pessoas não vão gostar... por isso, vou manter-me só caladinha.


Sintam-se tagueados, caso ainda não tenham respondido a esta tag 😉

Beijinhos