terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Quando o Cuco Chama - Robert Galbraith (J. K. Rowling)


Título| Quando o Cuco Chama
Autor| Robert Galbraitj (J. K. Rowling)
Editora| Editorial Presença
Páginas| 496

Já faz muito muito tempo que eu li este livro, mas eu na altura tive preguiça de fazer resenha hehehehe Então qual o motivo de eu vir agora fazer? É que foi lançada a continuação - O Bicho da Seda - que eu com certeza vou querer ler e resenhar aqui, mas acontece que eu não gosto de fazer renhas de continuações se não tiver feito do primeiro livro, e por isso cá estou eu.

Desde que foi lançado Uma Morte Súbita, eu decidi que tinha de ler mais qualquer coisa da rainha toda poderosa J. K. Rowling, mas este livro não conseguiu de todo captar a minha atenção nem vontade e por isso eu ia adiando, até que explode a notícia de que Robert Galbraith era na verdade a J. K. e que já antes de isso se saber, era um livro super bem comentado. Então eu decidi que tinha chegado a hora, e apesar de não ser muito apegada a policiais, dei o benefício da dúvida, afinal se J. K. conseguisse me convencer com um livro que de todo não ia de encontro aos meus gostos literários, então teria a prova de que ela era fenomenal e... foi o que aconteceu <3

Quando o Cuco Chama conta-nos a história de Cormoran Strike, um detetive privado, que após uma discussão que levou ao término do seu namoro, se vê a dormir no seu próprio escritório, com dores na perna que atormentam o seu sono e com falta de trabalho. Eis que chega uma nova assistente, Robin, que ele definitivamente não tinha pedido, e com ela uma onda de sorte e um novo caso para ser desvendado. Lula Landry, uma jovem modelo é encontrada morta por baixo da sua varanda e tudo indica que tenha sido suicídio e ela tenha saltado de espontânea e livre vontade, mas o seu irmão não se conforma e é aí que é procurada a ajuda de Cormoran para desvendar o caso. 

Este é um daqueles livros que nos faz virar a página pela curiosidade que temos em saber o que realmente aconteceu. Rowling faz-nos conspirar e criar teorias, para logo depois ela parecerem completamente improváveis e descabidas e logo à frente voltarem a parecer possíveis. Posso dizer que logo no início eu descobri quem era o assassino, mas a autora ao longo do enredo fez com que eu achasse que estava errada, e que era algo demasiado rebuscado ou sem sentido, para no fim ser o que eu pensava, só que de uma maneira um pouco diferente (?!).

Mas nem tudo foram mares de rosas! Apesar da minha curiosidade para conseguir desvendar o caso, o que me fez avançar rapidamente na leitura, por vezes achei as descrições demasiado desenvolvidas. Lembro-me de uma passagem que era mais ao menos assim: «E ele deitou fora o cigarro, vendo a ponta laranja forte ser levada pelo vento e cair calmamente numa poça de água deixada pela chuva da noite anterior»... Completamente desnecessário isso! Se calhar ela já era demasiado descritiva em Harry Potter, mas como era tudo uma novidade e um mundo diferente, eu nem reparei nisso, avidamente curiosa por tudo o que descrevesse aqueles lugares maravilhosos e mágicos, mas como esta história é mais real e nós conhecemos a "realidade", é inútil  pormenores como aqueles do cigarro. 

Mas no geral foi um livro de que eu gostei e que, não sendo eu fã de policiais, nunca pensei gostar tanto. Dando agora um pouquinho de atenção aos personagens, acabei por simpatizar realmente com Cormoran, talvez porque devido aos seus problemas físicos (problema na perna devido a um acidente no Iraque) o tornavam mais limitado e humano e não alguém super inteligente e perfeito que vê coisas que nós não vemos. Ao longo da narrativa nunca nos são apresentados os pensamentos e opiniões do detetive sobre as pistas encontradas, mas no fim a maneira de pensar dele é explicada e não é nada rebuscado e sobrenatural entendem? Ele apenas estava mais atento do que nós. Outra personagem que eu simpatizei, na verdade eu adorei, foi Robin a assistente, que sempre teve o sonho de ser detetive e acaba por ajudar no caso. Ela é tão engraçada e perspicaz, que me foi impossível agora ao escrever a resenha, não compará-la com a Felicity do Arrow (quem é fã entende). Simplesmente adorável!

É um livro que aconselho, no entanto, como nunca li nenhum policial antes, não tenho outro elemento de comparação, então não sei se, por exemplo, fãs de Agatha Christie poderão adorar ou ficar desiludidos. Só mesmo lendo e tirando as próprias conclusões, e caso haja por aí algum expert em policiais que tenha lido este livro, gostava que me disse o que achou. Voltarei com a resenha do segundo livro ;)
Beijinhos



15 comentários:

  1. Vou lê-lo brevemente e estou muito curioso!! Também vai ser o meu primeiro policial! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que para aqueles que é o primeiro policial, é uma boa leitura :)

      Eliminar
  2. Eu já amo livros policiais e nesse quesito O Chamado do Cuco não foi tuuuudo aquilo que eu esperava. Isso justamente pelo que você falou de descrições MUITO desenvolvidas. Geralmente os livros policiais são mais diretos, e as descrições mais desenvolvidas são para se referir às cenas dos crimes ou coisas que realmente importem na resolução do mistério. Nesse livro, tudo é muito descrito, então fica meio cansativo em alguns aspectos. Seguindo o exemplo que você deu, é meio "ta bom, para de dar tanta importância para Cormoran fumando e vamos ao que interessa". Acho que o livro poderia ter umas 50 páginas a menos, no mínimo hahaha
    Eu também "meio que" descobri quem era, mas em um desses "ah, quer ver que quem matou foi fulano?". No final foi aquele fulano mesmo, mas à explicação que JK deu eu nunca conseguiria chegar!
    Adorei o livro no final das contas, mas creio que se tivesse sido escrito por qualquer outro autor de quem eu gosto menos eu poderia ter abandonado na metade.

    Adan
    Mundos na Estante

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que a parte negativa é memso isso das descrições, mas de resto eu gostei.

      Eliminar
  3. Não curto muito livros policiais e nunca li nada da escritora. Mas não me anima muito. Coisa de gosto mesmo.

    Inquietudes Secretas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostos são gostos :) Eu confesso que li apenas porque era da J. K
      Beijo

      Eliminar
  4. Que legal!
    Em edição portuguesa!
    Aqui no Brasil ficou "O chamado do Cuco" que e´a mesma coisa né?
    Enfim!
    Foi um livro que me agradou em algumas partes e em outras não. Confesso que também lembrei da Felicity mas nao totalmente rsrs Vamos ver coo vai ser o bicho da seda né?
    Talvez seja porque eu estava esperando algo mais... Mesmo assim é bom :)
    Um beijo!
    Pâm - www.interruptedreamer.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Felicity é a Felicity né memso? Mas me fez lembrar em alguns momentos :)
      Foi bom, mas nada de muito extraordinário.
      Beijo

      Eliminar
  5. Eu não sou fã da JK.... Nem se HP e então esse livro eu passo.
    Se bem que já vi muitos comentários positivos e que esses são até melhores que Morte Súbita.
    Vamos ver... Não é ceeteza, mas talvez de uma chance :)

    Beijinhos,
    Lica
    amoreselivros.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Morte Súbita eu acho que nunca lerei :S Não faz memso o meu género.
      Beijo

      Eliminar
  6. Quero muito ler.. já tenho ali o livro há imenso tempo :) gostei da review.. simples e com opinião sincera, sem revelar muito. Muito bem :) parece-me que vou adorar hehehe

    * mary red hair *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quero saber a tua opinião depois hehehehehe :)
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Nunca li nada da J. K. Rowling, eu sei shame on me, mas não fiquei interessada com esse livro, não curto muito livros policiais, uma pena :/
    Beijoos,
    Sétima Onda Literária

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem é de ler Harry Potter menina <3
      Beijo

      Eliminar
    2. Também gostei mesmo muito deste livro, mas policiais sempre foram a minha onda. Não chegou às 5, mas não faltou muito. :) Mas destaca-se entre o género, sem dúvida.
      Nunca tinha comparado a Robin e a Felicity, mas até que têm as suas semelhanças. Gostei muito da Robin, mas não existe nenhuma personagem que roube o lugar da Felicity. Ela é tão divertida e adorável (desculpa aí o desabafo, mas a simples menção desta personagem é suficiente para não me calar ;) ).
      Quando soube da publicação do 2.º livro em Portugal fiquei super entusiasmada. O preço é que não é lá muito favorável, mas é a [rainha toda poderosa] J.K. ;)
      Beijinhos!
      *Mistery

      Eliminar